segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Dia das Bruxas - Halloween - 31 de Outubro

A Verdade sobre o dia das bruxas

Mais do que simples travessuras ou doces, nos traz a verdadeira versão da tradicional festa norte-americana, Halloween, comemorada no dia 31 de outubro. Na verdade, o dia das bruxas não passa de uma festa pagã, em sua origem e prática, e significa uma das datas mais importantes para os adeptos da igreja satânica.
Muitos bruxos, satanistas e adoradores do diabo se preparam, durante todo o ano para estas festividades. Além de ser considerada por eles, o aniversário de satanás, é o dia ideal para fazer sacrifícios humanos e pactos satânicos. No período de 15 dias antes da data de 31 de outubro e 15 dias após os seguidores do diabo sacrificam pessoas, confiados na promessa de que alcançarão mais poder e prosperidade. Conforme as estatísticas, inclusive as do FBI, nos meses de agosto, setembro e outubro acontecem várias atrocidades, inclusive o desaparecimento de crianças do mundo inteiro, principalmente nos EUA.
A autora do livro "Satanás Escondido" conta que uma destas comemorações de Halloween, tentaram introduzi-la em um ritual satânico e pediram que sacrificasse uma criança recém-nascida. Neste mesmo livro, ela relata que muitas das moças desaparecidas nos meses de março e abril, são usadas para a procriação, e seu fetos sacrificados na época do Halloween. Os moradores de Anaheim, CA, também sabem e sentiram os efeitos desta Convenção de Satanás. A própria policia da cidade pede aos crentes que tomem algum tipo de providência, pois reconhecem que do Centro de Convenções de Bruxos, emana uma onda de violência e maus presságios. Os bruxos e adoradores do diabo não perdem tempo. Eles traçam metas horríveis para combater os cristão como, por exemplo, a destruição de 60 mil famílias por ano. Fora isso, trabalham incansavelmente, para que milhares de jovens e crianças sejam envolvidas e aprisionados pelas drogas, prostituição e violência, confirmando algumas histórias da dramaturgia cinematográfica americana.
Conforme Joel Engel, pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular do Rio Grande do Sul, o mais alarmante nesta história toda é que muitas igrejas estão participando das celebrações de Halloween. Além disto, vestem suas crianças de personagens bíblicos alegando que é uma opção . Para o pastor, não existe opção para este tipo de festa, pois de qualquer forma, a atitude do crente deve ser a de combater e não a de consentir com a comemoração. "A participação do halloween é uma desonra para o Senhor Jesus Cristo. O problema é que muitos não acreditam nem mesmo na Palavra de Deus que é bem clara ao afirmar: "as bruxas, os feiticeiros, os gatos negros, os faróis de abóboras e outros misticismos malignos, são símbolos de tudo aquilo que é abominável a Deus", frisa e também adverte: "Irmão, fique longe de toda a celebração satânica, com certeza, ela entristece ao Espírito Santo de Deus."


Doces travessuras ou bruxarias?
Faz muito pouco tempo que o Halloween ficou reduzido a uma pequena festa para as crianças. Mesmo no passado, a festa folclórica cultuada pelos americanos não significa nada de bom e oportuno. Seus símbolos e práticas foram tirados diretamente do paganismo, do mal, da morte e do ocultismo. De acordo com os manuscritos históricos, a celebração antiga do halloween era feita pelos druidas em honra a Samhain, o Senhor dos mortos, no primeiro dia do mês de novembro. Eles acreditavam que na véspera deste dia Samhain chamava todas as almas malignas (espíritos) que, durante os doze meses passados, haviam sido condenados a habitar em corpos de animais. O Halloween era considerado "o caminhar universal de todas as almas e espíritos".
Conforme a bruxa paulista Rosa Maria Biancardi, em uma entrevista ao jornal O Tempo de Belo Horizonte, os Celtas há mais de 2 mil anos, festejavam o dia dos mortos na data de 31 de outubro, celebrando a travessia e a troca de energia com antepassados.
Os Druidas eram uma ordem sacerdotal da antiga Gaul e Bretanha, pagãos da religião Celta. Conforme os artigos mencionados nos textos de escritores gregos e romanos, entre o século II a.C. e o IV d.C., eles eram brutais, temidos pelo seu poder e tinham sede de sangue. Resolviam todas as disputas com uma decisão definitiva e inalterável, e castigavam com a morte. Além disso, seus altares destilavam o sangue de vítimas humanas. Algumas vezes, ofereciam homens, mulheres e crianças em holocausto, queimando-os em grandes torres de vime, como ofertas as suas supertições. Normalmente, os Celtas usavam os bosques para caça, pesca e a alimentação, mas também os utilizavam para as cerimônias demoníacas. Há evidencias, ainda, de que usavam as gigantescas pedras talhadas para decidir qual era o melhor dia para acalmar ao deus ou deuses de suas práticas misteriosas. Afirmavam que Samham convocava os maus espíritos daqueles que haviam morrido durante a realização dos ritos demoníacos.
Das crenças dos Druidas precedem o uso de bruxas, fantasmas e gatos que são utilizados nas festas de halloween. Eles acreditavam que os "gatos" eram sagrados e haviam sido pessoas castigadas por alguma má ação. Para livrarem-se da possessão diabólica, tinham que dar comida ou oferecer algo aos demônios, e arrumar-lhes hospedagem durante a noite. Se os espíritos ficassem satisfeitos com o que lhes davam, deixavam a casa em paz. Caso contrário, faziam um "trick" (truque, maldade), ou rogavam uma maldição de destruição sobre as pessoas que ali residiam.



A história explica

A história nos dá a resposta sobre o Halloween e porque a festa foi cristianizada pela igreja. Desde o tempo de Constantino (quem fez do catolicismo a religião do estado) os imperadores romanos perceberam que era necessário manter um império unificado, onde o maior número de pessoas professasse somente uma religião. Porém, uma lei foi implementada para forçar a todos os que não eram cristãos a aceitarem o cristianismo. Assim, um grande número de ateus se uniu à igreja trazendo as práticas e celebrações pagãs, como o halloween, tiveram que ser cristianizadas. Para a Igreja Católica, a única maneira de preservar os pagãos nas missas, era permitindo a prática de algumas tradições e costumes. Aos pagãos recém-convertidos, foi liberado para que guardassem alguns festivais, tais como o Halloween ou o Dia dos Fiéis Defuntos. Eles o usariam para comemorar a morte dos "santos".
Em 800 d.C. a Igreja Católica estabeleceu o Dia dos Fiéis Defuntos no dia primeiro de novembro, para que o povo desse continuidade das celebrações antigas. No entanto, a missa que se rezava neste dia se chamava "allhallowmas", e a noite anterior ficou conhecida como "allhallow even" ou halloween, que significa santificado ou noite santa.



Significado de alguns costumes do Dia das Bruxas

Treat or Trick
O costume moderno do "treat or trick", começou na Irlanda a centenas de anos, logicamente com base nestes costumes Druidas. Um grupo de trabalhadores do campo, em uma pequena cidade, resolveu fazer uma festa de halloween em homenagem aos seus antigos deuses. No entanto, saíram de casa em casa mendigando comida para a festa. Aos que contribuíam generosamente desejavam boa sorte e aos que não contribuíam faziam ameaças. Assim, a tradição continuou até nossos dias quando jovens e crianças saem de porta em porta, disfarçados de fantasmas, esqueletos e demônios, mendigando de certa por comida enquanto prometem não fazer maldades.



31 de outubro

Foram os Celtas que escolheram a data de 31 de outubro como véspera do ano novo separando-a também para celebrar todo o maligno, o malvado e o morto. Durante esta celebração costumavam reunir-se em volta de uma fogueira na comunidade, e ofereciam seus animais, suas colheitas e às vezes a si mesmos como sacrifício. Usavam disfarces feitos de cabeça e pele de animais e prediziam o futuro uns dos outros.
Abóbora iluminada

A aparente e inofensiva abóbora iluminada é um símbolo antigo de uma alma maldita e condenada. Elas são chamadas "Jack-O Lanterns", por causa de um homem chamado Jack, que não podia entrar nem no céu nem no inferno. Como resultado ele estava condenado a vagar pelas trevas com sua lanterna até o Dia do Juízo.
Por medo dele e dos fantasmas, as pessoas arrumavam as calçadas e colocavam velas acesas dentro das abóboras para espantar os espíritos maus.



Alerta!

"Os EUA, outrora um exemplo de fé para os outros países, agora está diferente: os americanos, além de deixarem a vida espiritual de lado para cuidar da profissional, estão adotando festas pagãs, valorizando-as mais do que um culto, um encontro de fé", relatou indignado o pastor Joel Engel na Revista Cristã, após sua visita a nação americana. Segundo ele, a festa do Dia das Bruxas, trata-se de um ritual satânico e demoníaco que envolve crianças inocentes e faz com que as pessoas cultuem o mal.
No intuito de combater a influência americana do Halloween, o pastor convoca a Igreja de Cristo para guerrear, orando e jejuando contra este mal que está tomando conta do mundo inteiro, inclusive no Brasil. Hoje adolescentes e crianças brasileiras esperam, ansiosos pela festa de Halloween, que é comemorado nas escolas e boates. Até para os antropólogos, a cultura norte-americana está cada vez mais presente na vida dos brasileiros, provocando um choque cultural. "É preciso estar atento aos exageros das chamadas trocas culturais", lembra.

"É hora de sermos radicais, buscarmos a virtude e o poder de Deus para nossas vidas e dizer ao diabo que fazemos parte de um exercito de vitoriosos, quem temos como propósito destruir as obras de satanás", diz o pastor Engel. Os evangélicos devem guerrear no dia 31 de outubro, com clamores, jejuns e orações ao Deus altíssimo, combatendo as hostes santânicas.

O perdão para a salvação

Na carta aos Romanos 3.20, a palavra afirma que nenhuma carne será justificada diante dele pelas obras da lei, porque pela lei, vem o conhecimento do pecado, fazendo-se necessário que o Filho de Deus se fizesse homem e habitasse entre nós (João 1.1 a 4), o qual deu a sua vida em sacrifício vivo na cruz, para a remissão dos nossos pecados, e ressuscitou ao terceiro dia para nos ofertar a salvação para a eternidade.
E hoje, pela aspersão do seu sangue, achamos lugar de arrependimento, porque Cristo levou sobre si o pecado do mundo inteiro (Isaias capítulo 53), abriu a porta do paraíso, e nós, sendo inimigos de Deus, fomos reconciliados pela sua morte, e, pelo seu sangue restabeleceu a paz entre Deus e o homem.
E no Evangelho de Mateus 10.32, disse Jesus: Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus.
A carta aos Romanos 10.8-11, nos ensina que a palavra está junto de ti, na tua boca e no teu coração; esta é a palavra da fé, que pregamos, a saber: Se, com a tua boca, confessares ao Senhor Jesus e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dos mortos, serás salvo. Visto que com o coração se crê para a justiça, e com a boca se faz confissão para a salvação. Porque todo aquele que nele crer não será confundido.


http://www.semeadordapalavra.net/

Na Angústia, invoque ao Senhor. Ele ouvirá a sua Oração

Leia Salmos 50.15. Nesse texto há três grandes verdades:


1) O servo tem o seu dia de angústia. A angústia de Marta e Maria durou quatro dias (Jo 11). Os momentos de angústia exigem esforço e perseverança.
2) Temos uma grande promessa: “Eu te livrarei”. Lembre-se da alegria de Ana depois de ouvida a sua oração (1Sm 2.1-10).
3) O resultado de ter passado pela angústia e vencer é o nosso testemunho: “Tu me glorificarás”. É maravilhoso glorificar a Deus firmados em nossas experiências. Se estiver passando por angústias, invoque o Senhor. Ele ouvirá a sua oração.
Em todas as gerações, o homem goza da bondade de Deus que se compromete em ouvir nossas petições. Ele ouviu Noé depois do Dilúvio, fazendo um pacto com ele (Gn 8.21). Ouviu a Abraão quando lhe apresentava sacrifícios ou intercedia por alguém. Ouviu Elias quando este desafiou Baal e mandou em resposta fogo do céu, um milagre (1Rs 18.36-37). Jeosafá orou e Deus lhe ouviu, assumindo a guerra contra os amonitas e moabitas (2Cr 20.1-3,12,15). A resposta foi livramento.
Quando na viagem da vida surgem tempestades, oramos e Ele ouve (Lc 8.22,24). Mesmo quando cometemos erros e as dificuldades surgem, oramos arrependidos e Ele nos responde (2Rs 3.9-12,16-18). Quando os problemas são maiores que nós, devemos orar e certamente Ele nos responderá (Êx 14.15-16). Confiemos na Sua resposta!

domingo, 30 de outubro de 2011

Grande Final Jovens Talentos Kids - Música Gospel muito bem representada

As crianças continuam dando um show de talento com a musica gospel no programa Raul Gil.
Parabéns que Deus abençoe a todos vocês!
Apresentações do primeiro programa da Grande Final exibido em 29/10/2011








sábado, 29 de outubro de 2011

Quando é que chegamos ao conhecimento de que o Senhor já ouviu a nossa oração?

Leia Salmos 6.1-9
Nesse salmo, Deus havia ferido o salmista com uma enfermidade grave devido ao seu pecado. Davi, então, clama por misericórdia. O seu desespero nos faz entender o grau da sua angústia e a pressa por uma resposta de Deus.
Nos versículos 2 e 3, Davi, na sua impaciência, insiste diante de Deus por uma resposta e confessa que se sente castigado, fraco, enfermo e perturbado. Deus, porém, não respondeu depressa, mas no Seu devido tempo.
Mais à frente, Davi declara seu cansaço, o seu gemido e suas muitas lágrimas. Ele insiste suplicando a Deus, que o ouve e aceita a sua oração.
O que podemos aprender dessa passagem?
Em primeiro lugar, que quase sempre o nosso sofrimento é o resultado das nossas desobediências. Foi o caso de Davi nesse salmo.
Em segundo lugar, os nossos pecados sempre nos levam ao desespero, à angústia, ao sofrimento. Alguns há que desejam até a morte.
Em terceiro lugar, a única solução é recorrer a Jesus. Ele é o socorro bem presente na angústia. A Sua misericórdia nos livra da morte.
O único recurso é orar. “Até quando? Até quando?” Até Deus responder. Até compreendermos que Ele é o único Deus, poderoso, soberano, cheio de compaixão e amor, mas também é justiça, e não aceita o pecado.
Quando reconhecemos que não somos nada, e Ele é tudo; quando compreendemos nossas limitações e impossibilidades, e que Ele tudo pode; quando clamamos, buscamos Sua face e nos consagramos, Ele aceita as nossas orações.


Autor: Pr. José Wellington Bezerra da Costa

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Todos nós já sentimos tristeza; ela é um fato da vida.

"O choro pode durar uma noite, mas a alegria vem pela manhã."
A Bíblia tem diversos relatos de pessoas que, em algum momento, passaram por tristezas. Jacó entristeceu-se ao perder a sua esposa, Raquel (Gn 48:7) e por não conseguir salvar o seu filho José (Gn 42:38). Ana era triste por causa de sua esterilidade (1Sm 1:5), e Tamar chorou amargamente depois da tragédia de ser estuprada pelo seu meio-irmão (2Sm 13:19). A rainha Ester sentiu grande pesar em seu coração e derramou lágrimas de tristeza por causa da proposta para destruir seu povo (Et 1:18). O salmista Davi experimentou a tristeza durante a opressão e as dificuldades (Sl 13:2; 90:10).
Até mesmo a sabedoria traz consigo a tristeza de saber que a vida como um todo não é alegre (Ec 1:18). Por fim, a maior de todas as tristezas suportadas por uma mulher foi da de Maria, a mãe do Senhor, ao ver a tortura e execução cruel de seu filho Jesus (Lc 2:34,35).
A Bíblia diz que as tristezas dos justo levam ao arrependimento e à vida (2Co 7:9), ao contrário das tristezas dos ímpios, que levam à morte (2 Co 7:10). No entanto, Deus poupa seus filhos de muitas tristezas (Fp 2:27), ou seja, das tristezas sem qualquer esperança de alegria.
Quantas vezes você já pensou em desistir? Já se sentiu desanimado, desmotivado e sem esperança? Há momentos em nossas vidas que pensamos que é hora de parar, de deixar de lado e não lutar, mas Deus diz a todos aqueles que não desistem, que perseveram em servi-lo, que não perdem a esperança! Em Provérbios diz que quem é humilde e teme a Deus ganhará como recompensa riquezas, honra e vida! (Pv. 22.4).

Todo aquele que faz a vontade de Deus alcança suas promessas. Estima-se que só na Bíblia há mais de 37 mil promessas! Em Números 23.29 diz que ‘’Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria?” Se Ele prometeu tenha certeza que vai cumprir! O Senhor não é como os homens que muitas vezes voltam atrás em suas palavras, mas Ele é fiel e justo Apenas creia, espere e tome posse da vitória! ‘’Só vence quem luta até o fim.
O segredo da sua vitória está em agradar ao Senhor (Sl. 37.4). Deposite sua confiança em Jesus, entregue seus sonhos a Ele e tome posse da sua vitória!
Virá o dia em que a tristeza terá fim (Is 60:20). Você pode aguardar com ansiedade novos céus e nova terra, onde o pranto se transformará em regozijo, e o consolo, em alegria (Is. 61:1-3).


http://www.geracaovida.com.br/

terça-feira, 25 de outubro de 2011

O valor do conhecimento e o conhecimento de valor

Há pessoas que duvidam do valor do conhecimento. Mas essa dúvida é totalmente sem fundamento. Todas as pesquisas nacionais e internacionais comprovam que quem tem mais conhecimento, tem mais sucesso pessoal e profissional. Além disso, estamos na era do conhecimento, exatamente porque o maior valor que temos nos dias de hoje é a informação de valor, ou seja, o conhecimento. Digo informação de valor, porque não basta ter informação sobre qualquer coisa. É preciso que ela tenha um valor para a sociedade. Daí ela será valorizada, trazendo o sucesso e tornando-se em conhecimento. Muitas pessoas tem conhecimento sem valor. Os fofoqueiros, por exemplo, sabem tudo da vida alheia. Mas qual o valor desse conhecimento?
Quando um colaborador de uma empresa realmente conhece o seu trabalho, estuda o que faz, busca a excelência e a perfeição, investe em si próprio, com certeza terá sucesso. Muitas pessoas me dizem que já fazem isso. Mas será que fazem o suficiente? Será que entendem que o conhecimento é uma corrida sem linha de chegada ou seja quanto mais você souber, mais verá que pouco ou nada sabe? O filósofo grego Sócrates, dizia “tudo o que sei é que nada sei” exatamente para mostrar que o ser humano nunca pode parar de aprender e buscar conhecimento.
Vejo pessoas deprimidas e tristes e uma das razões é que elas perderam a vontade de aprender, de buscar conhecimentos novos sobre o que fazem. Pararam na vida, deixaram-se levar pela preguiça, pela inercia, pela desmotivação.
É preciso acreditar que o ser humano precisa sentir-se em constante desenvolvimento intelectual para sentir-se feliz e ter sucesso pessoal e profissional. O ser humano quer sempre um trabalho desafiante que lhe dá sentimento de missão e propósito. E ele mesmo pode encontrar essa missão e buscar esse propósito.
Assim, não fique esperando que os outros o motivem. Busque a motivação pelo conhecimento, pela razão, estudando mais, conhecendo mais o que faz, se interessando mais em aprender todos os dias uma coisa de valor para você e para a sociedade.
Luis Marins

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Vivendo em Fé: Noé - Exemplo de Obediência

Parte 2
Um aspecto da obediência de Noé foi que ele teve um parceiro que o ajudou obedecer. Este parceiro foi o próprio Deus. Deus mandou Noé construir a arca, porém Noé não poderia fazer chover. Deus o fez. Noé não podia fechar por fora a porta da sua arca. Foi Deus que fechou.
A obediência de Noé trouxe benefícios a sua família e a toda humanidade. A humanidade foi preservada do dilúvio, porque Noé obedeceu. Hoje vivemos, porque Noé sobreviveu ao dilúvio. Fica a lição de que a obediência a Deus traz benefícios em nossa volta. O contrário, a desobediência, traz malefícios e prejuízos. É melhor obedecer. Indo contra o senso e a geração de sua época, ele construiu a arca e foi a obediência que salvou-o, assim como a sua família e a humanidade.
Entretanto, a história de Noé apresenta uma mácula. Já em terra firme ele prosperou e plantou uma vinha. Bebeu do fruto da vide e se embriagou de tal forma que ficou nu, com as vergonhas de fora. Certamente falando bobagens. Um homem temente a Deus e cheio de fé desobedeceu a Deus neste momento. O fato de a Bíblia registrar este episódio de Noé, não me desanima quanto a obedecer a Deus, pelo contrário. Isto me mostra que Noé era gente como eu, passível de fraquezas, e foi este homem ,gente como a gente, que O Senhor usou para reescrever a história da humanidade. Isto me mostra que Deus pode me usar “apesar de já ter me embriagado em algumas vinhas”. A desobediência de Noé me ensina que posso obedecer. Posso ser usado também como Noé o foi. “Se já me embriaguei”, devo confessar a Deus o meu pecado e seguir avante. Porque tenho uma arca para divulgar a todas as nações e esta arca é Jesus. Devo convidar a todos que entrem na arca, porque o “dilúvio” se aproxima. A volta de Cristo está próxima. A geração de Noé é bem semelhante a nossa. Oremos a Deus para que sejamos “Nóes” no meio desta geração perversa.


(Este texto é de autoria do Pr Eber Jamil)
Fonte:Pr Eber Jamil's Weblog

Leia Também Vivendo em fé: Noé exemplo de Obediência Parte 1

A Arca da Aliança - Parte 2


A Arca da Aliança, no primeiro relatório das peças do tabernáculo, era a primeira peça mencionada. As primeiras instruções à Moisés para este santuário onde Deus habitaria no meio do Seu povo eram de fazer a Arca da Aliança. De fato isso nos ensina que a salvação de Deus para o homem pecador começa com Deus. O Pai decretou a salvação por Cristo. O Filho fez tudo necessário conforme o que o Pai decretou. O Espírito Santo aplica o que o Filho fez para todos aqueles que o Pai escolheu. A primeira iniciativa de amor pelo pecador perdido era no lado de Deus. Nós O amamos porque Ele nos amou primeiro (I Jo 4.19). Quando ainda éramos pecadores, Deus manifestou Seu amor por nós pela morte de Cristo (Rm 5.8). Se não fosse o amor eterno de Deus em primeiro lugar pelos perdidos, não haveria a obra do Espírito Santo em os atrair a Ele (Jr 31.3). Cristo é o Alfa e o Ômega da salvação (Ap 1.11). Cristo é o Autor e consumador da nossa fé salvadora (Hb 12.2). Se a salvação por Cristo não é a primeira e última esperança do perdão dos seus pecados você não tem a presença de Deus no seu coração.
Não pense de ter uma vida Cristã sem essa presença de Deus entre os homens. Não pense de ter perdão dos seus pecados sem essa: a presença de Deus entre os homens. Não pense que tem comunhão com Deus sem a presença de Deus entre os homens. Não pense que pode agradar Deus sem a presença de Deus entre os homens. Sem a presença de Deus entre os homens que é Cristo, há somente condenação eterna (Jo 3.36).
Se estiver carregando a pesada carga da condenação dos seus pecados venha a essa presença de Deus entre os homens (Mt 11.28-30). Se estiver oprimido pela separação que seus pecados fazem do seu Deus, venha a essa presença de Deus entre os homens (Is 55.1-3, 6-7).

domingo, 23 de outubro de 2011

"Os olhos do Senhor passeiam por toda a terra para se mostrar forte para com aqueles cujo coração é inteiramente seu."

Desculpe, foi engano!
Era uma vez um rapaz que tinha muitos problemas; constantemente, em suas preces, ele pedia que Jesus viesse visitá-lo no seu sofrimento.
Um dia, Jesus bateu a sua porta, ele maravilhado, convidou-o a entrar, e Jesus sentou-se no sofá da sala. Na mesinha de centro encontrava-se uma Bíblia aberta no Salmo 91. Numa das paredes estava pendurado um bordado com o Salmo 23 e na outra um quadro da santa ceia.
"Senhor Jesus", disse o jovem, "em primeiro lugar gostaria de dizer que é uma honra recebê-lo em minha casa, conforme o Senhor deve saber, estou passando por algumas dificuldades e preciso muito da Sua ajuda..."
"Filho" - interrompeu Jesus - "antes de conversarmos sobre os seus pedidos, gostaria de conhecer sua casa. Onde é o lugar que você dorme?"
No mesmo instante o rapaz se lembrou que guardava no quarto, umas revistas terríveis e se apressou em dar uma desculpa: "Não, Jesus, lá não! Meu quarto não está arrumado!"
"Bem", disse Jesus, "e a cozinha, posso conhecer sua cozinha?" O rapaz lembrou que na cozinha havia algumas garrafas de bebida que ele não gostaria que Jesus visse. "Senhor, desculpe, mas prefiro que não", respondeu o rapaz, "a minha cozinha está vazia, não tenho nada de bom para oferecê-lo."
Neste instante, um barulho forte interrompe a conversa. Pam, pam, pam! Era alguém que batia furiosamente na porta, o rapaz se levantou assustado, e foi ver quem era. Abriu a porta, meio desconfiado, e viu que era o diabo. "Sai da frente que eu quero entrar!", gritou o tentador. "De jeito nenhum", respondeu o rapaz, e assim começou a briga. Com muita dificuldade o homem
conseguiu empurrar o diabo e fechar a porta.
Cansado, o rapaz voltou para sala e continuou: "Então, Jesus", disse ele, "como eu estava falando com o Senhor, estou precisando de tantas coisas..." Mas, outra vez a conversa é interrompida por um barulho forte que vinha da janela do quarto. O rapaz correu para ver quem era e ao abri-la se deparou, novamente, com o diabo:
"Agora não tem jeito, eu vou entrar!", disse o inimigo. Mais uma vez o rapaz se debateu com ele e conseguiu trancar a janela. "Senhor", disse ele, "desculpe a interrupção, conforme lhe dizia..." Outra vez, dos fundos da casa, na cozinha, se ouvia tamanho barulho como se alguém quisesse arrombar a porta, era novamente o diabo:
"Eu quero entrar!" O rapaz, já exausto, lutou com ele e conseguiu mantê-lo do lado de fora. Ao voltar, contrariado, disse a Jesus: "Eu não entendo. O Senhor está na minha casa e por que o diabo fica insistindo em entrar?"
"Sabe o que é meu filho", explicou Jesus, "é que na sua casa você só me deu a sala."
O rapaz humildemente entendeu a lição de Jesus e fez uma faxina na casa para entregá-la aos cuidados do Senhor. Neste instante, o diabo bateu mais uma vez à porta. O rapaz olhou para Jesus sem entender, e o Senhor disse: "Deixa que eu vou atender." Quando o diabo viu que era Jesus, que atendia a porta, disse:
"Desculpe, foi engano," e sumiu rapidinho.
Muitas vezes, é assim que acontece com o nosso coração. Entregamos a Jesus só uma parte dele, apenas a sala, ficando as dúvidas a morar no quarto, o acaso na cozinha, o medo na varanda, então lutamos e não vencemos porque a casa está dividida.
A Bíblia diz que "os olhos do Senhor passeiam por toda a terra para se mostrar forte para com aqueles cujo coração é inteiramente seu."


Fonte: Ganhando vidas para Jesus

Roteiro para a oração pessoal nos dias de jejum:


01 – Leia o salmo 22 e experimente a companhia do Bom Pastor.
02 – Leia o salmo 90 e proclame o poder de Deus para livrar você.
03 – Leia o salmo 67 e veja fugirem os inimigos de Deus.
04 – Leia o salmo 19 e confie na vitória que o Senhor lhe revelou.
05 – Leia o salmo 45 e prove o amparo de Deus na tribulação.
06 – Leia o salmo 55 e clame com confiança ao Senhor.
07 – Leia o salmo 66 e peça a abundante bênção do Senhor.
08 – Leia o salmo 94 e manifeste a sua alegria na presença de Deus.
09 – Leia o salmo 110 e proclame as grandes obras do Senhor.
10 – Leia o salmo 50 e peça ao Senhor um coração contrito.
11 – Leia o salmo 95 e cante a glória do Senhor.
12 – Leia o salmo 112 e renove suas forças no poder de Deus.
13 – Leia o salmo 118, 105–112 e faça da Palavra de Deus a sua luz.
14 – Leia o salmo 141 e revele a Deus as aflições do seu coração.
15 – Leia o salmo 145 e coloque no Senhor a sua esperança.
16 – Leia o salmo 123 e creia que o seu socorro é o nome do Senhor.
17 – Leia o salmo 99 e leve a fidelidade do Senhor.
18 – Leia o salmo 92 e descanse nas eternas promessas de Deus.
19 – Leia o salmo 83 e agradeça ao Senhor pelos seus benefícios.
20 – Leia o salmo 41 e espere a bênção do Senhor que vai chegando!
21 – Leia o salmo 150 e proclame a vitória do Senhor.

O Jejum e a oração


Campanha de Oração e Jejum
“Naqueles dias eu, Daniel, estava pranteando por três semanas inteiras. Nenhuma coisa desejável come, nem carne nem vinho entraram na minha boca, nem me ungi com ungüento, até que se cumpriram as três semanas completas.” (Dn 10, 2-3)
A passagem acima descrita, tirada do livro de Daniel, é o exemplo clássico de um “jejum parcial”, realizado em meio às atividades do dia-a-dia, com o propósito de alcançar de Deus a revelação de sua vontade. Chamamos “jejum parcial” porque consiste na aplicação de uma dieta limitada, ao invés da abstinência absoluta de alimentos.
Está claro que existe um valor muito grande neste tipo de jejum. Lendo os versículos seguintes deste capítulo de Daniel, verificamos que o culminar deste jejum foi uma tremenda visitação do anjo do Senhor com uma revelação indispensável a respeito das batalhas que se travam nas regiões celestes (versículos 13-22). Além disso, o próprio Senhor, em sua visita a Daniel, assegura com palavras encorajadoras a eficácia de seu jejum e penitência: “Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste teu espírito a compreender, e em que te humilhaste diante de teu Deus, tua oração foi ouvida, e é por isso que Eu vim.” (v. 12).
Aleluia! Quando nós somos movidos pela promessa de Deus e numa atitude que o agrada, começamos a transformar esta promessa em realidade no jejum e na oração; no momento em que nosso coração se humilha e busca a face do Senhor, nossas palavras são ouvidas no céu.
Daniel dedicou três semanas completas (vinte e um dias) ao jejum e à oração. O tempo dedicado ao jejum é reservado para buscar o Senhor, mesmo em meio às atividades cotidianas. Em Mt 6, 1-18 vemos como Jesus indica o jejum, a oração e a esmola como sinais característicos da vida de um cristão fiel. Em alguns momentos de decisão, porém, somos convocados a intensificar nossa comunhão com o Senhor. Segundo o desejo de Jesus, devemos fazer isto sem ostentação, mas com discrição e buscando agradar somente ao Pai.
Outro fator importante em um tempo de jejum é o propósito que nos move a fazê-lo. Um jejum sem propósito definido é como vagar num túnel escuro, sem se saber de onde vem ou para onde vai. Olhando as Sagradas Escrituras, encontraremos muitas razões que levaram as pessoas ao jejum. Se vamos jejuar, teremos que ter objetivos firmes e claros pelos quais lutar: estar com Deus; receber sua Palavra; interceder; enfrentar satanás e suas tentações.

sábado, 22 de outubro de 2011

Vivendo em Fé: Noé - Exemplo de Obediência

Parte 1
“E Noé fez tudo exatamente como Deus tinha ordenado” Gn. 7: 5
E a Bíblia fala assim de Noé: ele obedeceu a Deus em tudo. Noé foi abundante no obedecer.
Como anda a minha obediência? Como anda sua obediência? Acerca de Noé, lemos que ele fez tudo que O Senhor ordenou. A obediência dele é um exemplo. A ordem para ele foi a construção da arca. Para nós, é pregar o evangelho a toda criatura.
Noé obedeceu a Deus, vivendo no meio de uma geração corrompida e violenta. Ele não encontrou eco, nem par na sua obediência. Deus olhou para a humanidade e só achou Noé. Daquela geração (Gn. 6:5), sabemos a grande maldade: que seus pensamentos eram malignos; bebiam, comiam, casavam-se e se davam em casamento, sem discernir o juízo que sobreviria (Mt. 24:37-42). Noé, porém, andava com Deus (Gn. 6:9) e obedeceu a ordem de Deus de construir a arca. A construção da arca demorou 120 anos. Não foram 120 dias, mas 120 anos. Ele perseverou em obedecer. Enfrentou zombarias e deboches, mas continuou obedecendo. Durante todo este tempo, ele foi pregoeiro da Justiça (II Pe. 2:5). Sua vida e a arca eram o “outdoor” da justiça de Deus na terra. Todavia, aquela geração continuou comendo e bebendo, casando-se e dando-se em casamento, e desobedecendo a Deus. Noé, por sua vez, obedecendo.
Como Noé conseguiu obedecer, vivendo naquele ambiente desfavorável? A resposta encontra-se em Hb. 11: 7: “Pela fé, Noé, divinamente avisado das coisas que ainda não se viam, sendo temente a Deus, preparou uma arca para o salvamento da sua família; e por esta fé condenou o mundo, e tornou-se herdeiro da justiça que é segundo a fé”. Ele obedeceu porque creu. Porque teve fé. Para se obedecer a Deus tem que se ter fé. Para se obedecer as ordens de um Deus que não se vê, é necessário fé. As coisas deste mundo cooperam para a desobediência. Quando desejamos desobedecer, encontramos facilidades, mas o caminho da obediência é estreito e difícil. Não foi fácil para Noé obedecer no meio daquela geração. Mas como podemos vencer o mundo? “…e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé” (I Jo. 5:4). Vivendo em fé: venceremos.


Continue lendo Vivendo em Fé: Noé exemplo de Obediência Parte 2

A Arca de Noé

Desenho Bíblico que conta a História da Arca de Noé.
Parte 1

Parte 2


Agora uma versão diferente que também conta a história da Arca de Noé
Parte 1

Parte 2

Essa outra versão mais simples e  objetiva do Dilúvio

A Arca da Aliança - Parte 1

A Arca da Aliança, em Si, representa a presença de Deus entre os homens. Cristo “é imagem do Deus invisível” (Cl 1.15). Deus (o ouro) se fez carne (a madeira de acácia) para habitar entre nós (Ex 25.8). Os que estavam com Jesus no Seu ministério terrestre testemunharam dEle. Eles viram a Sua glória, “como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade” (Jo 1.14). Estes que viram Ele, e ouviram dEle, testificaram dEle para nós “para que também ‘tenhamos’ comunhão” com eles, pois, a comunhão deles era com o Pai, e com Seu Filho Jesus Cristo (I Jo 1.3). Tudo isto nos ensina que somente há presença de Deus nas nossas vidas, comunhão verdadeira com Deus e com os Cristãos se for por Aquele que é a imagem do Deus invisível, ou seja, por Jesus Cristo. Repito negativamente: não há salvação completa, vida espiritual, adoração agradável ou esperança futura senão somente e unicamente por Cristo. A Arca da Aliança representa a presença de Deus entre os homens, e Cristo é essa presença.


Continue lendo A Arca da Aliança Parte 2

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Dez Lições Fáceis e Simples para Dias mais Felizes

A lista abaixo foi retirada do livro Dez Leis para Ser Feliz de Augusto Cury (Editora Sextante).


1ª lição – Contemplar o belo: faça das pequenas coisas um espetáculo para os olhos


2ª lição – Sono reparador: não leve problemas para a cama e relaxe de verdade quando estiver repousando


3ª lição – Faça coisas fora da agenda: quebre a rotina, seja inusitado e invente atividades e caminhos diferentes


4ª lição – Pratique exercícios físicos e tenha uma alimentação saudável: escolha uma atividade física que lhe dê prazer, alimente-se com equilíbrio e saúde


5ª lição – Gerencie suas emoções: trabalhe sua ansiedade, medos e sentimentos destrutivos. Canalize seus sentimentos para o lado positivo


6ª lição – Gerencie seus pensamentos: trabalhe seus pensamentos negativos e acelerados; não seja escravo deles


7ª lição – Proteja os solos da memória: cuide e conserve os arquivos de sua personalidade


8ª lição – Trabalhe suas perdas e frustrações: procure usar suas perdas e frustrações como lições para seu amadurecimento


9ª lição – Seja empreendedor: corra atrás de seus sonhos, seja ousado, explore o desconhecido, experimente, mesmo que haja riscos


10ª lição – Inteligência espiritual: tenha consciência de que a vida é uma grande resposta. Procure por Deus e agradeça a Ele pelo dia, noite, sol e universo todos os minutos.


Medo: Impecilho da Bênção

O que é que tem afastado o homem de receber as bênçãos de Deus? Muitos reclamam que estão abandonados, que Deus os esqueceu, chegam a dizer que quanto pior, melhor, tamanha a incerteza e insegurança com as quais vivem os dias atuais. Podemos afirmar com certeza, que os motivos que tem afastado o homem de receber as bênçãos de Deus são: O primeiro é o próprio pecado, que é o errar o alvo, é agir ao arrepio da vontade de Deus, e o outro é pela falta de fé, o homem se sente inseguro e passa a ficar com “medo”. O medo é perturbação resultante da idéia de um perigo real ou aparente, apreensão, receio de ofender, de causar algum mal, de ser desagradável. Quem nunca sentiu medo? Medo de tirar notas baixas na escola, de tomar injeção, de perder um amigo, perder o emprego, ficar doente etc. O medo é uma companhia que não queremos, mas que se manifesta quando menos esperamos, e não há opção de pessoas, pois ele agride tanto a fracos quanto a fortes, tanto a pessoa isolada quanto a grupo, e se não houver um controle ou controlador externo, passa a ser pernicioso onde atacar, causa muitos danos, e sempre afasta de Deus.Todo aquele que não é de Deus, teme a tudo, o medo o campeia, e o afastamento de Deus é inevitável. O medo não é pecado, mas a ferramenta para os covardes que acham que dando vazão a covardia se sentem melhor, pois perdem a visão de Deus e do que Ele pode fazer. Medo descontrola, afasta o homem de receber as bênçãos, e o medo não pode ser empecilho para tomarmos posse da bênção de Deus.Precisamos fazer como Calebe, gritar bem alto quando o medo quiser nos dominar, e dizer: Eia subamos e tomemos posse da bênção que Deus tem para nós.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Charge - Tirinha de casal gospel

Quais as Bênçãos de Deus para Nós

Entre muitas bênçãos, em Dt.28:1-14, Deus nos apresenta uma grande relação de bênçãos em todas as áreas da nossa vida, que Ele separou para nós. Em relação ao nosso caráter, Deus nos diz que seremos benditos na cidade e no campo, isto é, falarão bem de nós em qualquer lugar, pois o Senhor nos confirmará por povo santo (v.3). Seremos governo, pois Ele nos colocará na direção de vários projetos Seus, tanto ministeriais, como na vida secular, pois seremos cabeça e não cauda, estaremos sempre em cima e não por debaixo (v.13). Todos povos da terra terão temor de nós, porque somos chamados pelo nome do Senhor (v.10). Em tudo que tocarmos a nossa mão será abençoado, porque somos instrumentos do Senhor para sermos usados em vários lugares. A nossa família será abençoada, pois a nossa descendência será numerosa (v.11). Falarão bem de nossos filhos, porque eles são semente bendita do Senhor que nos diz: ?Bendito o fruto do teu ventre? (v.4). Teremos prosperidade, uma vez que a nossa produção será abundante, a bênção do Senhor estará nas nossas despensas (v.8) e não precisaremos tomar emprestado, mas teremos para emprestar a muitas pessoas. Veremos a seguir, de que forma essas bênçãos acontecerão em nossas vidas.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Tomando Posse da Benção

Deus é nosso Pai que ama Seus filhos e quer nos abençoar para que sejamos felizes a cada dia das nossas vidas. Ele tem para nós bênçãos maravilhosas e grandiosas promessas que serão cumpridas pois Ele é fiel para cumprir a Sua Palavra (Jr.1:12). Quando oramos a Deus para nos abençoar em determinada situação, precisamos pedir-lhe que nos dê discernimento e sabedoria para que possamos identificar a resposta que vem do Senhor e não sejamos enganados, ouvindo a voz do próprio "eu", isto é, da nossa vontade, ou a voz do inimigo que, muitas vezes, apresenta propostas que nada têm a ver com a resposta de Deus. Devemos buscar a presença do Senhor e esperar que Ele fale conosco e nos direcione antes de tomar as decisões. Conforme a Palavra de Deus, veremos o que caracterizam as bênçãos do Senhor para que delas possamos tomar posse.
1. Identificando as Bênçãos de Deus
As bênçãos de Deus são santas e fiéis (At.13:14). Como Deus é Santo (Lv.19:2) e é fiel (1Co.1:9), as bênçãos que vem dEle são conforme o seu caráter de santidade e fidelidade. Por exemplo, se uma jovem está pedindo um esposo ao Senhor e recebe a proposta de um homem casado, ou de um homem que só casa na condição de ela abandonar o caminho do Senhor ou deixar de freqüentar a igreja, ou fechar a célula, essa jovem poderá, de imediato, identificar que não vem do Senhor, pois Deus não aprova a infidelidade. As bênçãos de Deus não procedem de mãos impuras, de negócios desonestos, de engano, nem de usura ou agiotagem. Negócios que envolvem mentiras, preocupações, angústias, noites de insônia e riscos não provém de Deus, pois a Sua Palavra em Pv.10:22 nos diz que "a bênção do Senhor é que enriquece e não acrescenta dores".

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Como, Onde e Porque Orar

(1 Ts 5:17) “Orai sem cessar”.

Oração no sentido religioso é a elevação da alma a Deus. É uma conversa entre o cristão e o seu mestre, Jesus Cristo.


1) Oração: Um mandamento de Cristo.
Jesus Cristo nos exortou a vigiar e orar, (Marcos 14:38) “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; o espírito, na verdade, está pronto, mas a carne é fraca”. Ensinou-nos também onde orar, (Mateus 6:6) “Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai, que vê o que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te recompensará”. Além do quarto, (aposento) apontou outro lugar, (Lucas 19:46) “Dizendo-lhes: Está escrito: A minha casa é casa de oração; mas vós fizestes dela covil de salteadores”. Hoje se fala muito em orar no monte, mas a Bíblia não recomenda isso porque hoje nós temos onde orar. Jesus orou no monte porque só existia um templo e dele fora expulso. Hoje orar em montes é desmerecer a casa de Deus e a nossa própria casa também, porque Jesus disse para entrarmos no nosso quarto e ali orarmos em oculto sem incomodar o vizinho porque Deus não é surdo. Esse costume errado começou dum tempo para cá
2) Como orar?
A Bíblia ensina que devemos orar em todo tempo, mas a oração de joelho (ajoelhado) é a que mais encontramos em seus escritos.
a) Orar de Joelhos:
Examinemos alguns versículos a respeito: (1 Reis 8:54) “Sucedeu, pois, que, acabando Salomão de fazer ao SENHOR esta oração e esta súplica, estando de joelhos e com as mãos estendidas para os céus, se levantou de diante do altar do SENHOR”.
(Esdras 9:5) “E, perto do sacrifício da tarde, me levantei da minha aflição, havendo já rasgado a minha veste e o meu manto, e me pus de joelhos, e estendi as minhas mãos para o SENHOR, meu Deus”.
(Daniel 6:10) “Daniel, pois, quando soube que a escritura estava assinada, entrou em sua casa (ora, havia no seu quarto janelas abertas da banda de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como também antes costumava fazer”.
Agora veremos no Novo Testamento: (Lucas 22:41) “E apartou-se deles cerca de um tiro de pedra; e, pondo-se de joelhos, orava”.
Em (Marcos 1:40) diz: “E aproximou-se dele um leproso, que, rogando-lhe e pondo-se de joelhos diante dele, lhe dizia: Se queres, bem podes limpar-me”.
(Atos 7:60) “E, pondo-se de joelhos, clamou com grande voz: Senhor, não lhes imputes este pecado. E, tendo dito isto, adormeceu”.
(Atos 9:40) “Mas Pedro, fazendo-as sair a todas, pôs-se de joelhos e orou; e, voltando-se para o corpo, disse: Tabita, levanta-te. E ela abriu os olhos e, vendo a Pedro, assentou-se”.
(Atos 20:36) “E, havendo dito isto, pôs-se de joelhos e orou com todos eles”.
(Efésios 3:14) “Por causa disso, me ponho de joelhos perante o Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”.
b) Orar em pé:
Deus também ouve a oração em pé, (Lucas 18:13) “O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador”! E Deus ouviu e atendeu sua oração.
c) Orar deitado:
Até deitado e virado para a parede podemos orar que Deus ouve, (Isaías 38:2) “Então, virou Ezequias o rosto para a parede e orou ao SENHOR”. E o Senhor respondeu sua oração imediatamente. Vejamos o que diz em (Isaías 38:5) “Vai e dize a Ezequias: Assim diz o SENHOR, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas; eis que acrescentarei aos teus dias quinze anos”.
3) O que é prostrar-se?
Podemos orar prostrados? O que é prostra-se? Prostrar-se quer dizer; lançar-se por terra em reverência (Dic Michaelis). Todavia, podemos orar de todo jeito, porém quem está ajoelhado está prostrado.
Prostrar-se lançando-se ao chão está mais ligado a adoração, Josué prostrou-se e adorou, (Josué 5:14) “E disse ele: Não, mas venho agora como príncipe do exército do SENHOR. Então, Josué se prostrou sobre o seu rosto na terra, e o adorou, e disse-lhe: Que diz meu Senhor ao seu servo”? João também se prostrou para adorar, (Apocalipse 19:10) “E eu lancei-me a seus pés para o adorar, mas ele disse-me: Olha, não faças tal; sou teu conservo e de teus irmãos que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; porque o testemunho de Jesus é o espírito de profecia”. Orar completamente prostrado (com a boca no pó) se faz quando estamos numa luta que embora estejamos diante de Deus não vemos como alcançar vitória, veja uma recomendação para por a boca no pó (Lamentações 3:29) “Ponha a boca no pó; talvez assim haja esperança”. Mas isso só se faz quando não perspectivas de vitórias, porque a oração mais usada pelo ensino bíblico é a de joelhos dobrados
4)Por que orar?
Quando estamos orando estamos falando com Deus, fortalecendo a nossa fé para vencer as investidas de Satanás. Através da oração e fé alcançaram vitórias (Hebreus 11:33) “Os quais, pela fé, venceram reinos, praticaram a justiça, alcançaram promessas, fecharam as bocas dos leões”. Venceram pela fé porque viviam em oração, temos em Ana um exemplo; (Lucas 2:36 e 37) “E estava ali a profetisa Ana, filha de Fanuel, da tribo de Aser. Esta era já avançada em idade, e tinha vivido com o marido sete anos, desde a sua virgindade, e era viúva, de quase oitenta e quatro anos, e não se afastava do templo, servindo a Deus em jejuns e orações, de noite e de dia”.
Conclusão: Oremos em todo tempo, andando, assentados, em pé, deitado, ajoelhados, vivamos em oração sabendo que primeiro precisamos vigiar, não adianta orar e não vigiar. Vigiemos e oremos sem cessar. Leiamos: (1 Timóteo 2:8) “Quero, pois, que os homens orem em todo o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda”.
Vigiemos e oremos sem cessar.
Pr. Ismar Vieira Malta

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

A História do Semeador


Jesus gostava de falar por meio de histórias quando queria que só as pessoas de coração puro entendessem. Um dia, sentado num barco, contou a história do semeador, para uma multidão que estava em pé na praia. Foi assim:
"Um semeador saiu a semear. Enquanto semeava, uma parte das sementes caiu no caminho, elas foram pisadas e vieram as aves e as comeram. Outra parte caiu entre as pedras, logo nasceram, mas, vindo o sol, secaram, porque não tinham raiz. Outra parte caiu entre espinhos, os espinhos cresceram e as sufocaram. E finalmente uma parte das sementes caiu em boa terra e elas deram frutos. Quem tem ouvidos para ouvir, ouça."
Mais tarde, Jesus explicou aos seus discípulos:
"A semente é a palavra de Deus. As que caem junto do caminho são os que ouvem, mas depois vem o diabo e tira-lhes do coração a palavra para que não se salvem. As que estão sobre pedra são os que, ouvindo a palavra, a recebem com alegria, mas, como não têm raiz, apenas crêem por algum tempo e, quando são tentados, a abandonam. E as que caem entre espinhos são os que ouviram e são sufocados com as riquezas e as preocupações da vida. As sementes que caíram em boa terra representam os que ouvem a palavra com um coração honesto e bom. E dão fruto pela perseverança." (Mt 13,1--23)

Historinha em Quadrinhos Gospel - Smilinguido: O Salvamento








]

domingo, 16 de outubro de 2011

Tirinhas gospel - Otto e Heitor


Tirinhas - A Oração


1Pe 3:11,12 Aparta-te do mal, pratique o que é bom, busque a paz e empenhe-se por alcançá-la. Porque os olhos do SENHOR repousam sobre os justos, e os seus ouvidos estão abertos às suas súplicas



At 20:19 Servindo ao SENHOR com toda a humildade



Jo 6:43 Respondeu-lhes Jesus: Não murmureis entre vós



Ro 9:14 Que diremos, pois? Há injustiça da parte de Deus? De modo algum!



1 Co 10:13 Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel e não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário, juntamente com a tentação, vos proverá livramento, de sorte que a possais suportar



1 Jo 1:9 Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda a injustiça


1 Co 15:57 Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso SENHOR Jesus Cristo